SERÁ O ÁLCOOL REALMENTE VANTAJOSO EM RELAÇÃO A GASOLINA?

SERÁ O ÁLCOOL REALMENTE VANTAJOSO EM RELAÇÃO A GASOLINA?

 

            Há tempo venho debatendo a relação entre preço e eficiência no caso dos combustíveis. Recentemente, com o debate acerca da questão ambiental que envolve estes problemas, os biocombustíveis tem se destacado, e com isso o número de pessoas propagando informações falsas cresceu muito. Por isso volto a esse tema, desta vez com informações mais concretas sobre o assunto.

            O Balanço Energético Nacional é uma publicação anual que fornece informações sobre as diversas fontes de energia e o gasto por setor. As informações estão disponíveis desde os anos 1970, o que facilita muito conhecer a composição e a evolução da matriz energética brasileira. Por meio do BE eu montei um gráfico, que permite visualizar a relação entre o preço e a quantidade de energia presente nos combustíveis. O preço está em dólares e a quantidade de energia em bep (barris equivalentes de petróleo).

 

            O combustível que aparece mais acima é o menos vantajoso, pois para a mesma quantidade de energia ele custa mais caro. Olhando esta linha pode-se compreender várias coisas relativas ao uso do etanol como combustível. A primeira delas, é os momentos em que o etanol aparece como vantajoso, são poucos ao longo da série, concentrando-se entre 1979 e 1984. Nos outros momentos sua variação é apenas casual.

            No ano de 2006 o etanol novamente deixou de ser vantajoso em relação a gasolina. Os leitores devem ter em mente que esse resultado é obtido para o todo o país, e pode ser que em alguns pontos do território nacional o álcool seja vantajoso, como o interior de São Paulo e outras áreas. Mas como o Balanço Energético considera o país todo, nota-se que o etanol não é vantajoso na média geral. Como pode-se, então, explicar o aumento no consumo do álcool, sendo ele um combustível mais caro do que seu substituto, a gasolina?

A resposta está em duas vantagens indiretas que o álcool possui sobre a gasolina. A primeira é que ele paga menos impostos que a gasolina. Considerando a apenas a CIDE, o custo dela é de aproximadamente cinco centavos por litro de gasolina 2 centavos para cada 10 litros de álcool. Enquanto cobra-se cerca de R$ 500,00 de CIDE para cada mil litros de gasolina, paga-se cerca de R$ 20,00 para uma quantia equivalente de álcool.

A outra vantagem do etanol está relacionada ao preço dos impostos sobre o automóvel. Um automóvel flex, que para efeitos tributários é considerado um carro a álcool paga menos IPVA que um carro a gasolina. No próximo texto vou fazer alguns comentários sobre o mercado energético brasileiro e as conseqüências para o consumidor final e para os produtores, onde procurarei explicar como essas distorções de preço ocorrem.



Abra sua conta no Yahoo! Mail, o único sem limite de espaço para armazenamento!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

POR QUE ALGUNS PRODUTOS CUSTAM TÃO CARO NO BRASIL?

O ELEITOR BRASILEIRO E O EFEITO MÚCIO

O PROBLEMA DO DÉFICIT HABITACIONAL - PARTE 2