Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2009

ENTRANDO EM FÉRIAS

Imagem
Estou oficialmente em férias a partir de segunda-feira, 06 de julho. Por isso, as atividades no Blog estarão reduzidas. Irei fazer uma viagem pelo Brasil central, indo até Rondônia, nas cidades de Porto Velho e Ouro Preto do Oeste, e Mato Grosso, na cidade de Alta Floresta. Serão quase 8000 quilômetros no total, de carro por este país de meu Deus, como diriam os antigos. Espero voltar com muitas histórias pra contar. Irei visitar cidades novas, como Alta Floresta e Ouro Preto do Oeste, e cidades muito antigas, como Cuiabá, Porto Velho e Chapada dos Guimarães. Além disso, vou passar pelos caminhos que escoam a soja do centro oeste do país, e ter uma idéia de como estão os lugares de ocupação mais antiga da Amazônia, como Rondônia e o norte do Estado do Mato Grosso. Também aproveito para relembrar a marca que este blog atingiu na última postagem, superada agora: já ultrapassei 33 postagens, o número total do ano passado. Creio que com a exceção de algumas postagens mais informativas, qu

CIVILIZAÇÃO E LIBERDADE

Fernando R.   O livro Imperialismo Ecológico, de Alfred Crosby, vai em busca de razões que explicam o sucesso dos europeus na colonização no Novo Mundo e da Austrália, nas regiões que ele conceitua como "neoeuropas". Entre os diversos fatores de sua adaptação a estas novas terras, coloca os fatores ambientais ou ecológicos, como os animais, plantas e micróbios, que auxiliaram na obtenção de alimento e no combate as populações nativas. Há neste livro algumas observações interessantes, que permitem fazer algumas analogias, ainda que indevidas. Quando trata dos animais, sobretudo dos porcos, cavalos e o gado bovino, deixa claro que o se abandono os fazia bravios e, em alguns casos, até mesmo selvagens. O gado bovino, que é normalmente dócil a presença humana, tornava-se agressivo, furioso e extremamente ameaçador. O mesmo se dava com os porcos e também com os cavalos. Nem os ratos escapavam deste retorno a um estado selvagem, que chegava a ser ameaçador ao ser humano.