Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2006

A Sociedade Aberta

A expressão Sociedade Aberta foi utilizada por Karl Popper para descrever as sociedades democráticas que tem por característica principal o projeto civilizacional que reconhece o indivíduo como valor supremo a ser defendido. É a sociedade do individualismo. Individualismo, correntemente, tem dois significados. Por um lado refere-se aquilo que pertence ou que é próprio de um indivíduo. O individualismo assim tomado é a “ideologia” que defende o direito a autenticidade de cada um. Mas o individualismo também pode ser tomado pelo significado de egoísmo. E é nesse segundo sentido que seus críticos costumam empregá-los. A este mesmo projeto de sociedade aberta referiu-se Hayek como a Grande Sociedade. Essa Grande Sociedade seria aquela em que prevaleceria o império das regras gerais, em oposição às regras discricionárias. Essencialmente não há qualquer diferença entre a sociedade aberta de Popper e a Grande Sociedade de Hayek. Ambas pressupõem a imparcialidade das leis e o individualismo c

Observações

Quando falo em "o liberalismo defende", e outras coias semelhantes, deve-se ter em mente que assim é o liberalismo tal qual eu o defendo. Este situa-se dentro da tradição liberal da velha escola inglesa e da posterior linha de austríacos. O liberalismo não se limita, portanto, a uma teoria econômica, ou a preceitos para a economia do país, mas numa visão de mundo que abarca a sociedade humana por inteiro. Numa outra oportunidade detalharei isso.

LIBERDADE PARA IR E VIR: VELHA BANDEIRA LIBERAL

O Liberalismo possui várias faces, algumas das quais muito mais populares que outras. No artigo anterior eu comentei sobre a desigualdade vista a partir de um ponto de vista do liberalismo. Para melhor compreender as desigualdades de população no planeta terra, podemos levar em consideração a questão da liberdade para ir e vir. A teoria econômica considera que existem, em linhas gerais, três fatores de produção: terra, capital e trabalho. No nosso mundo de distribuição imperfeita de fertilidade, clima, relevo, etc., o primeiro fator de produção é aquele, digamos, dado pela natureza. Não pode mover-se. O capital e as pessoas movem-se em direção às melhores ofertas de recursos naturais, sejam solos, florestas ou minerais. O desbravamento de fronteiras e a colonização são as formas mais pacíficas de deslocamentos em busca de terras marginais. A conquista, a guerra e o imperialismo as mais agressivas. Na história do mundo tivemos, portanto, momentos de maior mobilidade do trabalho, como te