Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2010

QUAL TIPO DE CONSTRUÇÃO É MAIS CARA?

por Fernando R. F. de Lima   Esta pergunta banal pode ser respondida com base numa pesquisa rápida no banco de dados do IBGE, o SIDRA. O SINAPI é uma pesquisa que permite acompanhar diversos custos relativos à construção civil. Entre as opções disponíveis, está a pesquisa do custo por metro quadrado por tipo de projeto. A resposta para a pergunta é fácil: a construção mais cara que existe pelo sistema de indicadores do SINAPI é a casa popular de 1 pavimento com 1 quarto. No Paraná, em 2010, o custo médio ficou em R$ 931,38 o m². A construção mais barata foi o prédio residencial de 6 pavimentos, com 3 quartos (R$ 558,02/m²). Obviamente, um apartamento de 3 quartos tem uma metragem maior que uma casa popular de 1 quarto, mas isto não elimina o fato de que, no final das contas, ambos acabam com um custo de construção parecido. Em matéria de política habitacional, portanto, seria muito mais racional construir apartamentos do que construir casas populares. Existe neste fato uma razão rel

FREAKONOMICS – CATALAXIA EM ESTADO AVANÇADO

por Fernando R. F. de Lima   Há poucos meses fui presenteado por um amigo com uma versão do livro Freakonomics. Ganhei uma versão em inglês, revisada, com algumas entrevistas com os autores no final do livro. Ainda não se trata do último livro de Steven Levitt e Stephen Dubner, Superfreakonomics, mas do primeiro livro deles. O caráter de bestseller deste livro faz com que apresentações e resenhas sejam desnecessárias, uma vez que vários pessoas, e certamente muitos dos leitores deste blog devem ter familiaridade com o conteúdo dos livros. Também já é lugar comum algumas das principais teses discutidas, como a da relação entre a legalização do aborto e a queda na criminalidade. Deste modo, o que vou fazer é uma relação rápida destes autores com um outro, muito caro aos liberais, Ludwig Von Mises.             Mises, em seu livro Ação Humana, propõem uma mudança no nome da economia para cataláxia. De certa forma, a cataláxia seria uma ciência da ação humana, que se preocuparia em anali

CARGA TRIBUTÁRIA NO BRASIL

por Fernando R. F. de Lima               Todo ano quando chega o mês de maio as associações de empresários e cidadãos fazem aquele dia sem impostos, onde um ou outro posto de gasolina e lojas são escolhidos para venderem os produtos sem os impostos. Normalmente se escolhem os postos de combustível por conta da maior influência dos impostos no valor pago pelo consumidor. No caso da gasolina, o preço chega a cair pela metade quando se retira dela os impostos pagos pelo consumidor final.             Estes eventos são feitos com o objetivo de conscientizar os consumidores e os empresários da carga tributária no Brasil, que chega perto de 40% do valor do PIB. Esta grande carga bruta de impostos é acusada como um dos fatores que reduzem a competitividade brasileira e inibem a atividade empresarial e, conseqüentemente, o desenvolvimento econômico e social do país. Na comparação com nossos vizinhos latino-americanos, o Brasil possui uma carga de imposto que é quase o dobro da média, que osc