Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2016

ESQUERDAS E DIREITAS

Imagem
Por Fernando Raphael Ferro             Neste domingo, depois da macarronada da mama, por acaso estava deitado no sofá zapeando a TV e dei de cara com o programa de Roberto D’ávilla entrevistando Cristovam Buarque na Globo News. Surpresa minha foi ver o senador do Distrito Federal defendendo o impedimento da ex-presidente em exercício Dilma Rousseff, além de várias outras teses absolutamente sensatas, sensatas até demais para um dos grandes ícones da esquerda.             Buarque, que já foi candidato à presidência da república, disse, entre outras coisas, que estabilidade monetária sempre foi relegada a segundo plano na América Latina. Mas que estabilidade monetária é questão de honestidade, de caráter, porque inflação é roubo. Parece ser o tipo de coisa saída da boca de liberais direitistas raivosos, que espumam e esbravejam clamando pela “ROTA na rua”, mas na verdade é uma coisa tão simples, óbvia, direta, que devia já ser consenso neste país desde 1994, pelo menos.        

ESTADO ATUAL DAS COISAS PASSAGEIRAS.

Imagem
Dia mais, é nosso! Fernando Raphael Ferro. No último mês me desliguei um tanto das atividades do blog. Muitas coisas interessantes pra fazer como atividade de lazer, além de alguns problemas pessoais e complicações de ordem profissional para resolver me impediram de assentar a cabeça e colocar ideias no papel. Não que elas faltem. Sempre há algo para comentar. Mas de certa forma, o imobilismo do governo Dilma contagia como um todo o país, em praticamente todas as áreas. O decréscimo da atividade produtiva impede que novidades se avolumem na cena atual. E o desenrolar do processo de impeachment também parece titubeante. O que mais me preocupa, no fundo, é que as reformas fundamentais para desenrolar o país continuaram pendentes independentemente de quem assuma o poder nos próximos anos. Obviamente, pior será com o PT e Dilma, pela própria incompetência deles em fazer qualquer coisa. Mas o cenário vislumbrado com o PMDB, Temer a frente, não é muito melhor. Sabemos que mui